Agora voe meus dentes de leão, voe!

 


  Nós clamamos por coisas simples, coisas que ficam por entre as linhas, por entre as palavras duras, dentro daquela troca de olhares bem rápida e profunda.
   Clamamos por mais sorrisos sinceros e mais abraços aconchegantes como a malha daquele suéter preto e branco, que cheira a liberdade.
   Clamamos por um fim de tarde onde possamos surpreender nos pequenos atos e gestos também bem simples, quando nós eramos crianças essas tais coisas simples eram básicamente normais e não restritas.
   Clamamos por amor, amor de pais e filhos, amor de filhos e mães, amor de amizade, amor de homem e mulher, amor aos animais, amor a natureza, amor a vida, amor ao desconhecido,amor de coração,amor a si, amor... Amor de verdade.
   Clamamos por justiça, aquela justiça simples e rápida das coisas certas, ou quase certas.
   Clamamos por liberdade.
   Clamamos por sonhos bons.
    E clamamos ao fim de tudo por felicidade plena e paz de espirito, apenas... Apenas.
   

Comentários

  1. E todas essas coisas parecem que fogem das mãos da humanidade, que tem se tornado mais desenfreada, sem tempo, estressada, grossa, mal humorada, gananciosa e com mania de que tem que complicar pra ser de verdade.

    Belo texto um resumo de tantos sonhos, possíveis e impossíveis.

    Beijão, Lê.

    www.eraoutravezamor.blogspot.com | www.semprovas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. "Clamamos por justiça" simples e rápida , "
    gostei do seu texto, escreve bem demais,
    sucesso pra voce gatinha
    bjs
    http://fazendohistooria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário