Em um ballet de folha e vento... Parece que vai voar.

   

   Medo de errar.... Por que tanto medo de errar? Poderíamos usar da desculpa “somos seres humanos” para errar, se arrepender, aprender, fazer de novo e errar quantas vezes for necessário para olhar para trás e dizer “aaah agora eu aprendi”. Ué o que tem de mais nisso?  Não se prive de medos dona moça.
Desobedeça... eu li, me disseram, eu ouvi. Faz todo sentido. Por que nos libertamos assim, desobedecendo para poder criar o nosso mundo, o nosso limite mesmo que esse limite signifique não ter limites. Ora por favor o bonito da vida é a mudança, coisas estáticas cansam, enjoam, vai ver é por isso que eu prefiro observar sempre os pequenos detalhes, eles sempre podem ser vistos de formas diferentes.... Ou observar aquelas obras abstratas, as que brilham então nem se fala... Ah quantos caminhos me deixam ver!!!!!!!
Não limite sua criatividade, olha como são felizes as crianças... fazem como acham que deve ser feito, até machucar o joelho um pouquinho. Ai então, levantam, choram não por causa da dor, muito mais pelo vermelho do sangue, se observam, deu errado, vão lá e fazem de outro jeito.
Falam, falam, falam, perguntam sem justificar.
Por que temos a ideia de que quando a gente cresce a gente deve saber de tudo?
Uma pessoa incrível que eu conheço, amigo de outras vidas me disse:
“Maluca as pessoas são elegantes não pela aparência, não pelo corpo ou pelo jeito de falar, elas são elegantes pelo mundo que trazem com elas, pelos momentos que elas podem nos contar, a vida é um momento! ”
Tanta razão.... Tanta boniteza que me afoga o coração.
                                                                                                                    Lectícia Péttine

“Bambeia, eia, bicho!
Não cai que balão tu não é
Tu guarde essa flor no umbigo
Leva o destino na ponta do pé”

 - (Letícia Persiles) 


Comentários